A PRINCESINHA – Frances Hodgson Burnett
Geral / Março 25, 2018

“-Eu também não sou de responder – dizia Sara, para se consolar. – Se eu puder evitar, não respondo. Quando estão insultando a gente, a melhor resposta é não dar uma palavra, só olhar e pensar… Quando a gente não perde a calma, as pessoas sabem que a gente é mais forte do que elas, porque consegue se controlar, e elas ficam dizendo coisas estúpidas, de que depois se arrependem. Eu quase nunca respondo. Pode ser que Emily se pareça comigo. Pode ser que ela não queira responder nem aos amigos. Prefere guardar tudo no coração.”  Para se consolar, Sara dizia como fazer para não se ofender. Comparava-se à boneca Emily.   Clássico da literatura infanto-juvenil capaz de encantar, emocionar e prender a atenção de muito ‘marmanjo’ por aí pois mostra de forma impressionante como a protagonista lida com as mudanças (cruéis) da vida. Em nenhum momento perde a sua nobreza! É isso. Se tem uma virtude que essa obra preserva é a nobreza.   Sara é uma menina muito rica que vive na Índia, tratada como uma princesa pelo capitão Crewe, seu pai. Ao completar 10 anos de idade, o seu pai – que a chamada de Princesinha –…

MR. MERCEDES – Stephen King
Geral / Março 25, 2018

  Passando pela Saraiva, acabei comprando uma promoção de uma trilogia do Stephen King. Nunca tinha ouvido falar nos títulos, mas a fama do autor (que até então eu só havia ‘assistido’ e não ‘lido’) somada a uma campanha daquelas “Alerta amarelo: De R$ 189,90 por R$ 69,99” me fez levar os três livros para casa. Comecei a ler o livro I da Trilogia Bill Hodges: Mr. Mercedes. Que livro intenso! Não li de uma vez só. Foi aos poucos (acho que demorei quase dois meses pra ler), mas com muito interesse e uma mistura de sensações. A primeira delas, sem dúvida, a admiração por um texto tão bem escrito (King é um gênio!), com uma narração onisciente brilhante, transitando entre personagens tão complexos, com impressões e lentes de mundos tão diferentes. Depois vieram os sentimentos de medo, indignação (fiquei chocada muitas vezes!), angústia, adrenalina, diversão e, acima de tudo, curiosidade para saber o desenrolar de tantos conflitos. (São muitos conflitos interligados de forma surpreendente) Tenho que confessar que pensei em interromper a leitura. As descrições são fortes e detalhadas. Muito fortes! Muito detalhadas! Personagens que extrapolam psicopatias! Mas não consegui parar. A vontade de terminar foi maior. Fiquei impressionada em…